12.2.11

A Maldição da Dona Baratinha


Já ouviu falar da Maldição da Dona Baratinha?


Não? Então eu vou contar... vocês que são mães e pais, prestem bastante atenção. Não inflijam as suas crias esta maldição.

Tudo começou com uma meninha loirinha de seus 5 aninhos de idade. Pele branquinha, cabelos loiros ondulados, olhos verdes. Por conta destas características sempre era chamada para daminha de casamentos, peças de teatro na escolinha e para dançar e cantar.

Bem, nossa personagem foi escalada para participar da peça da Dona Baratinha que tinha fita no cabelo e dinheiro na caixinha. Participou e desempenhou seu papel com maestria, não esqueceu a letra da musiquinha, o momento de entrar, o momento de falar. Enfim, esmeirou-se ao máximo para fazer jus ao papel principal, afinal era uma honra ser a dona Baratinha, que por ter achado dinheiro e ter no cabelo um lindo laço era mui cortejada. Primeiro veio o boi, mas seu mugido assustava a dona Baratinha, depois veio O sr. Burro, mas dona baratinha achou seu zurro muito alto e barulhento, então veio o cabrito e em algumas versões da história ainda aparecem outro bichos, até que apareceu Dom Ratão, todo eloquente, discreto e educado. Dona Baratinha não teve dúvidas e marcou seu casamento com ele, porém Dom Ratão também tinha seu defeito, era muito glutão, tão glutão que se pendurou na panela de feijão e caiu dentro dela. E foi achado ali, depois que todos preocupados foram procurar por ele achando que ele havia abandonado a pobre Baratinha no altar.

Ficou tão envergonhado que desapareceu no mundo. Dona Baratinha à partir deste dia ficou mais exigente e segundo reza a história ficava na janela a cantar para os solteiros a musiquinha que lhe rendia tantos pretendentes.

Tá, você a esta altura deve estar se perguntando, aonde entra a maldição da Dona Baratinha? Bem, reza a lenda que depois desta menininha, há exatos 33 anos e 11 meses, todas as menininhas que representam esta peça passam a vida na janela, cantando a musiquinha, passam todos os pretensos pretendentes, mas ao final, passados muitos anos, elas ainda estão na mesma janela esperando a vinda do seu Baratinho. O detalhe é que a Dona Baratinha fica enrugadinha, o laço anda desbotadinho e o dinheiro da caixinha já não tem mais o valor de antes.

Então pais e mães, atentem para a Maldição da Dona Baratinha e não inflijam a suas lindas menininhas este papel de dona Baratinha.


Texto por Andréa Lima (esta que vos escreve)

6 comentários:

Manu disse...

Adorei Déa! Beijos

websalga disse...

Déia, adorei o texto.
Passo aqui de vez enquando.
Seus textos estão muito lindos.
Adorei o vídeo com a musica do Elton Jonh na voz da joven. Bjs.

marco antonio disse...

- " Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. Mas ninguém chama violentas às margens que o comprimem.

- Brecht nos ensina muito bem, que não devemos estabelecer como juízo a primeira visão, mas o contexto no qual ela se insere.

- A nossa Baratinha, por motivo forte, se desfez da idéia do primeiro casamento, passando a ser mais exigente para contrair novas núpcias, com justa razão.

- Esta fora a situação na qual ela esteve inserida.

- Será que para a menininha de cabelos loiros e cacheados, que bem interpretou seu papel, a situação contextual fora a mesma?

- Deus escolhe as pessoas que irão dividir a laranja com as outras e, a metade da laranja da loirinha ainda não chegou, mas vai chegar.

- Adorei a narrativa. Parabens.

Déa Lima disse...

-Para quem não sabe, o Marco Antônio é o meu pai!!! Pai... amei suas palavras. Obrigada por comentar e por deixar tão sábias palavras... Tou esperando a metade da laranja e sei que quando vier, virá docinha e no ponto para mim.

-Manu, irmãzinha, que bom que amou. Te amo tbém.

- Websalga, meu querido Paulo, sinta-se à vontade para sempre vir dar uma olhadinha. Obrigada pelas palavras.

Bjos em todos vcs.

Anônimo disse...

Maldição da Dona Baratinha?
Que coisa mais bizarra! Desculpa!
Sua criatividade é boa, porém quem é que vai acreditar nisso?

Bjos

Déa Lima disse...

Querido(a) Anônimo(a),

Claro que não existe maldição da Dona Baratinha, isto é apenas uma ficção, uma história. Não existe tal maldição.
Isto é apenas um conto... rsrsrsrs... Obrigada por comentar.

Abraços.